15 anos de um produto diferenciado

Distinguida PME Líder há 8 anos consecutivos, a Qualistamp, estamparia têxtil especializada na estampagem localizada, comemora 15 anos de sucesso, fruto de uma constante aposta no produto diferenciado. Desde a sua génese dedicada ao mercado fast fashion, a empresa, situada em Fafe, tem vindo a desenvolver alguns modelos para um nicho específico, mas sempre com o mesmo objetivo: potenciar a venda do produto.

A Qualistamp é uma empresa especializada na estampagem têxtil, que assume como fatores de diferenciação dos seus produtos, a mistura de produtos químicos, de forma a obter um produto de qualidade, e a gravação dos quadros, tendo a vista uma melhoria na definição dos desenhos. O objetivo do serviço é sempre acrescentar valor às peças de vestuário, sem nunca descurar a qualidade pretendida pelo cliente.

Os Sócios-Gerentes Romeu Vieira, licenciado em Engenharia e Gestão Industrial e responsável pela área comercial e projetos, e Artur Marinho, responsável pela produção e qualidade e com uma experiência e know-how adquiridos ao longo de 34 anos, estão convictos de que os pontos chave para o crescimento, ao longo de 15 anos, têm sido o acompanhamento mais próximo com o cliente e a dedicação, aliados ao conhecimento e experiência de ambos, que se constituem “pilares fundamentais para tornar a Qualistamp uma empresa sólida e de referência”.

As recentes instalações (2017) de 2460 metros quadrados são uma das marcas de crescimento da Qualistamp, uma empresa de referência, que tem apostado numa equipa mais jovem, pela sua dinâmica e proatividade, fatores decisivos na garantia de eficiência e competitividade a nível mundial. No entanto, para além dos recursos humanos, a Qualistamp sempre apostou no investimento em tecnologia de última geração, como a aquisição da Computer To Screen (CTS), “um investimento recente que permite melhorar a definição do estampado.

Investimentos contínuos

Reconhecida pela competência, excelência ao nível da estampagem, bem como pela relação de confiança com os seus clientes, a Qualistamp acompanha as tendências do mercado, através do acompanhamento de feiras internacionais ligadas ao sector, procura de novas e diferentes técnicas e investimentos em novas tecnologias. Esta procura incessante pela melhoria contínua, resulta do objetivo de apresentar as melhores soluções, uma vez que presta serviços para segmentos muito exigentes. Especialista nas técnicas de “burn out” com relevo (consiste na estampagem de uma pasta em malha de composição de poliéster e algodão, onde essa mesma pasta apenas destrói a fibra natural, sendo removida no processo de lavagem produzindo assim um efeito de renda. Além disso a empresa dispõe da técnica da flocagem em diversos tecidos incluído tulle. A Qualistamp está habilitada para efetuar qualquer técnica de estampagem localizada demonstrando a sua atitude vanguardista.

Tudo o que é produzido pela empresa é para exportação, sendo que 87% do produto é de forma indireta, daí a necessidade de estar o mais próximo possível dos clientes. O principal cliente é representado pelo Grupo Inditex, uma organização detentora de várias marcas no mercado. “Trata-se de um segmento com quantidades de 20 a 50 mil peças por modelo”, revela Romeu Vieira, salientando a aposta em encomendas de grande volume, pela relação custo/benefício. “Apostamos na qualidade e na competitividade, por isso investimos na compra da matéria-prima de qualidade e na eficiência na produção, minimizando ao máximo os desperdícios”.

Como se processa a estampagem?

De acordo com as tendências do mercado, os clientes desenvolvem os desenhos para o produto que pretendem criar, que são, posteriormente, enviados para a Qualistamp, responsável pela sua interpretação. O processo inicia-se com a separação das cores de acordo com a técnica pretendida pelo cliente, e aqui está a diferenciação, na mistura dos produtos químicos. Romeu Vieira explica que “ao invés de se comprar os produtos base standard, que são comercializados no mercado, compram os “ingredientes” e fazem a própria mistura, permitindo, desta forma, ajustar o produto de acordo com o pedido do cliente”. Uma distinção que se estende à gravação dos quadros, na qual são usadas telas e emulsões específicas, para que se possa apresentar um produto diferente ao cliente, com a conjugação de várias técnicas, asseguram. Feitas em máquinas manuais, mas com uma sequência automática, as amostras são enviadas ao cliente, que aprovando, envia para a Qualistamp os seus componentes e, de acordo com o planeamento, faz-se a alocação às máquinas nas diversas linhas de produção.

Para garantir assegurar o cumprimento rigoroso e integral do caderno de encargos, a empresa dispõe de um laboratório interno, com todo o equipamento de controlo físico, no qual, em função do tipo de técnica, são realizados os testes de solidez à fricção, comparação de cores e testes de lavagem.

Futuro: aposta num processo híbrido

Para chegar a este patamar de excelência Romeu Vieira e Artur Marinho não têm dúvidas de que é preciso “muita dedicação, porque o mercado é muito dinâmico, e é preciso ajustar os processos às necessidades do mercado”. Nesse sentido, a Qualistamp tem apostado, constantemente, no investimento em processos competitivos, de forma a reduzir tempos de ciclo, e na formação dos recursos humanos, para conseguir acompanhar de perto o cliente e o mercado, “fatores orientadores de investimento”.

Num futuro próximo, o objetivo dos Sócios-Gerentes é apostar na robotização, tendo em vista a redução dos tempos, melhoria da qualidade, para colocar no mercado um produto diferenciado. A conjugação dos processos convencional e digital resultará num processo híbrido, que irá proporcionar desenhos com qualidade fotográfica igual ao papel e diferenciar com uma ou mais técnicas convencionais.

Romeu Vieira sublinha três fatores chave essenciais para o sucesso de um negócio e fundamentais para se estabelecer relações de confiança e duradouras com os seus clientes: a qualidade, o preço competitivo e o cumprimento de prazos. No segmento fast fashion, o mercado está sempre a reagir e, como tal trabalhamos just in time”, salienta.